Leia a entrevista com o presidente do Hydrus, parceiro da UNIABES para cursos presenciais “in company”

A UNIABES, plataforma da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES voltada à educação e à promoção do conhecimento para o Saneamento Ambiental, em parceria com o Centro de Capacitação Hydrus Brasil acaba de lançar cursos na modalidade presencial “in company”, desenhados a partir de pesquisas realizadas para conhecer as reais necessidades em capacitação nas empresas operadoras de sistemas de água e esgotamento sanitário púbicas e privadas. Para mais informações, acesse aqui.

Segundo Newton de Lima Azevedopresidente da Hydrus, a faixa de operadores – o chamado “chão de fábrica” -, que corresponde a 150 mil no Brasil e a qual os cursos são direcionados, não recebe a devida atenção nos programas de educação corporativa das empresas. Esses trabalhadores, afirma “são aqueles que respondem mais rapidamente a novos estímulos. O engajamento pode ser rapidamente detectado na melhoria operacional e no processo de autovalorização”, frisa.

O HYDRUS tem como parceiro o Office International de l´Eau (OIEau), com sede na França, que conta com 28 anos de experiência em formação no setor de saneamento básico e com mais de 100 mil profissionais já treinados.

Serão oferecidos cinco treinamentos operacionais básicos, todos com carga horária de 8 horas e realizados em um dia. São eles: Ciclo Completo do Saneamento Básico, Hidrometria, Manutenção de Redes de Água, Manutenção de Redes de Esgoto e Desobstrução de Redes de Esgoto. “Os temas abordados têm total aderência ao cotidiano das operações”, destaca Lima Azevedo.

Leia a entrevista

Informe UNIABES – Como você vê esta parceria entre UNIABES e Hydrus para o setor de saneamento?

Newton de Lima Azevedo – Esta parceria nasceu da consciência da UNIABES e Hydrus de que a educação corporativa nas operadoras de água/esgoto no Brasil necessita dar atenção também aos seus colaboradores que representam 70% do seu efetivo – os “trabalhadores do chão da fábrica”

Informe UNIABES – Quais as vantagens de levar para sua empresa os cursos UNIABES/Hydrus?

Newton de Lima Azevedo – A inclusão dos cursos presenciais Hydrus na grade da Uniabes permitirá que as empresas passem a ter um universo de cursos disponíveis e adequar o seu programa de capacitação a todos os níveis de seus colaboradores.

Informe UNIABES – Com as mudanças ocorrendo no país e no setor, o que o mercado espera atualmente dos profissionais de saneamento?

Newton de Lima Azevedo – Um dos problemas crônicos do setor é a obstrução dos canais de comunicação com a sociedade. Temos a certeza de que estes cursos Hydrus permitirão que, com a legitimidade e penetração no setor, da ABES/UNIABES, profissionais do saneamento com uma melhor eficiência operacional, transformem-se em replicadores da importância do nosso setor na qualidade de vida da sociedade.

Informe UNIABES – Como os cursos “in company” tem beneficiado a performance de profissionais e empresas?

Newton de Lima Azevedo – Esta faixa de operadores ”chão de fábrica” nunca recebeu a devida atenção nos programas de educação corporativa das empresas. Composto em sua maioria de jovens com baixa escolaridade e pouco conhecimento técnico, estes trabalhadores (150 mil no Brasil), são aqueles que respondem mais rapidamente a novos estímulos. O engajamento pode ser rapidamente detectado na melhoria operacional e no processo de auto valorização.

Informe UNIABES – Quais os diferenciais destes cursos para os alunos que irão participar?

Newton de Lima Azevedo – São cursos de curta duração (oito horas) e os temas abordados tem total aderência ao cotidiano das operações. Os instrutores são engenheiros experientes que conseguem balancear informações técnicas e questões práticas.

Informe UNIABES – Os cursos podem ser levados para qualquer cidade do Brasil?

Newton de Lima Azevedo – Sim. A interação prévia entre a equipe Hydrus e a equipe de operação da empresa permite alinhar expectativas, detectar reais necessidades e estruturar as interações praticas (aprender fazendo).

Informe UNIABES – Na sua visão, como a qualificação dos profissionais pode contribuir para transformar o setor de saneamento brasileiro?

Newton de Lima Azevedo – A qualidade da gestão operacional é um dos problemas na grande maioria da operadoras brasileiras. Não adianta ter um ambiente jurídico institucional perfeito, se continuarmos, por exemplo, com níveis de perdas da ordem de 50%. Precisamos capacitar pessoas que utilizem os recursos disponíveis de forma eficiente e estabeleçam uma relação de confiança com a sociedade a partir da boa qualidade dos serviços prestados

Informe UNIABES – Quais são os maiores desafios neste cenário?

Newton de Lima Azevedo – Neste século XXI, estamos sendo inundados por informações, grande parte delas irrelevantes e que consomem nosso tempo discutindo questões secundarias. O desafio do setor é saber o que ignorar e focar em temas realmente estruturantes, entre os quais um dos mais relevantes é a capacitação.

ABES e FESPSP firmam parceria para MBA em Saneamento Ambiental.

Curso terá um dos módulos ministrado pela London School of Economics and Political Science (LSE), da Inglaterra, considerada uma das principais instituições de ensino do mundo.

A ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária Ambiental passa a oferece, a partir deste mês de maio, mais uma excelente oportunidade de qualificação: a entidade acaba de firmar uma parceria com a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, por meio de seu Núcleo de Estudos e Pesquisas Socioambientais e Núcleo de Pesquisa em Ciências Sociais, para a realização do curso MBA Saneamento Ambiental EAD. Associados ABES terão 15% de desconto. Uma apresentação completa sobre o curso será realizada no dia 23 de maio, às 18h30, na sede da ABES-SP. Os interessados em participar podem confirmar presença pelo email comunicacao2@abes-sp.org.br

A proposta do curso MBA Saneamento Ambiental EAD  é direcionada aos profissionais do setor de saneamento e de gestão de bacias, além de técnicos e especialistas da área.

Com uma linguagem técnica e voltada às boas práticas, o curso é ministrado por especialistas de renome nacionais e internacionais, tendo um Módulo Executivo Internacional ministrado na London School of Economics and Political Science (LSE), considerada uma das principais instituições de ensino do mundo, casa de 18 vencedores do Prêmio Nobel.

 

Reserve a data:

Apresentação do MBA Saneamento Ambiental EAD

Quando: 23 de maio, às 18h30

Onde: Sede da ABES- SP – Rua Eugênio de Medeiros, 242 – 6º andar – Pinheiros – 05425-900
São Paulo – SP

Confirmar presença: pelo telefone 11 3814-1872 ou e-mail comunicacao2@abes-sp.org.br

 

Sobre a FESPSP

Criada em 1933, graças aos esforços liderados pelo empresário e intelectual Roberto Simonsen — que a concebia como integrante de um projeto de modernização do Estado apoiado na intelectualidade, no empresariado e na sociedade brasileira em geral —, a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) participou dos principais eventos da história das Ciências Sociais no Brasil. Responsável pela implantação das primeiras instituições brasileiras no ensino de Sociologia e de Biblioteconomia, a FESPSP promoveu experiências inéditas em pesquisas de campo da realidade social do País.

Intelectuais e políticos de renome passaram pela Fundação e seu corpo diretivo — Fernando Henrique Cardoso, Luiza Erundina, Florestan Fernandes, Adelpha Rodrigues de Figueiredo, Lourival Gomes Machado, Rubens Borba de Moraes, Oracy Nogueira,

Donald Pierson, L. A. Costa Pinto, Darcy Ribeiro, Egon Schaden e Emilio Willems são alguns dos nomes sempre lembrados, e seus diplomados destacam-se nos setores da administração privada e pública, do jornalismo, da pesquisa, da gerência de recursos humanos e de materiais, da propaganda, da documentação e das artes, entre outros. A experiência acumulada pela FESPSP permite enfrentar o grande desafio de nosso tempo: a capacitação de bons profissionais com sólida formação conceitual e que atendam com excelência às exigências do mercado de trabalho.

A Pós-Graduação iniciou suas atividades em 1939, pelo sociólogo norte-americano Donald Pierson veio de Chicago lecionar na então Escola Livre de Sociologia e Política, a convite de seu diretor Cyro Berlinck. Pierson organizou o Departamento de Sociologia e Antropologia, que depois se transformou em Divisão de Estudos Pós-Graduados. Em 1941, surgiu a Escola Pós-Graduada de Ciências Sociais. Ao longo dos anos 40, reuniu-se na EPG um seleto grupo de professores — como Florestan Fernandes, Oracy Nogueira e Darcy Ribeiro — que conquistou estudantes de todo o Brasil.

UNIABES: alunos relatam experiências e destacam benefícios dos cursos

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES lançou, em fevereiro deste ano, a UNIABES, extensão da entidade voltada à educação e à promoção do conhecimento para o setor de Saneamento Ambiental no Brasil (acesse aqui).

Com o objetivo central de oferecer aos profissionais da área conteúdos para capacitar e valorizar sua atuação, promovendo a qualificação do setor, a iniciativa contempla dirigentes, gerentes, supervisores e trabalhadores operacionais de sul a norte do país, por meio da plataforma EAD (ensino a distância).

Aprimorar os conhecimentos e competências, atualizar-se e ampliar as visões sobre os temas abordados nos cursos (oito, no total), além da criação de uma rede de contatos com profissionais da área, são alguns dos benefícios proporcionados pela UNIABES aos alunos.

E são eles que contam, a seguir, como está sendo essa experiência. Confira.

“Resolvi fazer o curso para me atualizar e me inteirar da calibração de modelos. Os estudos de casos estão sendo interessantes, a rede de contatos também é importante para trocarmos experiencias”. Bernardo Costa Mundim, 29, engenheiro sanitarista e ambiental, proprietário da Mundim Engenharia Consultiva, empresa de consultoria na área de Saneamento e Hidráulica. 

Monte Carmelo/MG – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“Recebi uma indicação gerencial para fazer o curso que está diretamente ligado à minha atribuição, trabalho no processo de esgoto da Sabesp com o “Programa Córrego Limpo”.  O curso já está ampliando minha visão além de agregar maior conhecimento e aprendizado”. Maria Elizete de Lima Gonçalves, 51, técnica em Gestão na Sabesp.

São Paulo/SP – Curso: Despoluição de córregos em áreas urbanas.

“A realização do curso proporciona uma atualização sobre o tema, principalmente através de consulta aos materiais didáticos de excelentes especialistas em âmbito nacional, o que me permitirá avanços na rotina de trabalho.” Romulo Ruiz Gasparini, 40, engenheiro civil, da Sanepar.

Londrina/PR – Curso: Formulação e execução de estratégia de redução e controle de perdas.

“Decidi fazer o curso a fim de aprimorar meus conhecimentos na área de Perdas tendo em vista que meu trabalho recém-assumido como Coordenador de Redes envolve atividades vinculadas à manutenção e operação de redes de abastecimento de água e hoje os sistemas por nossa Unidade Regional apresentam índices razoavelmente altos até mesmo para a meta anual estipulada pela empresa. A ideia de se aprimorar nessa área vem ao encontro a uma necessidade diária de meu trabalho e às expectativas de conseguir organizar os Sistemas de Abastecimento de Água em um patamar aceitável de perdas.” Freddy Alberto Valdivia, 36, engenheiro civil, coordenador de Redes na Sanepar.

Ponta Grossa/ PR – Curso –  Formulação e execução de estratégia de redução e controle de perdas.

“Sou sócio administrador de uma empresa de engenharia e consultoria na área de saneamento, a qual está nascendo agora e ingressando no mercado, considerando a expectativa de crescimento do país após essa recessão que estamos vivenciando atualmente. Considero, pessoalmente, que há muito a se fazer pelo Brasil, e a capacitação profissional torna-se extremamente importante. Decidi fazer o curso para desenvolver uma maior sensibilidade na criação de modelos hidráulicos de sistemas de abastecimento de água. Ademais, adiciono que o curso tem favorecido sim na criação e desenvolvimento de uma rede de contatos com profissionais da área. Tive a oportunidade, inclusive, de conhecer pessoalmente e trocar ideias com o instrutor Hudson, quando estive em visita na COMPESA na semana passada, em evento promovido pela Imagem, o TechSummit GIS 2017. “ André Azevedo, 25, engenheiro civil, graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Atualmente é aluno do curso de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Sanitária da mesma universidade. 

Natal/RN – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“Decidi fazer o curso porque meu TCC foi relacionado ao uso do Epanet e tenho muito interesse em ampliar meus conhecimentos na área de dimensionamento e modelagem de Estações de Tratamento de Água, bombeamentos e rede de distribuição de água. E está sendo de muita valia os conhecimentos das aulas, assim como as discussões dos fóruns.” Marlos Henrique Pires Nogueira, graduado em Engenharia Sanitária e Ambiental – UNAMA e Licenciatura Plena em Matemática –  ESMAC. Cursa Pós-graduação em Engenharia Ambiental e Saneamento Básico e Pós em Engenharia em Segurança do Trabalho na Instituição Estácio de Sá.  

Belém/PA – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“Decidi fazer o curso por uma indicação da minha superiora imediata, pois uma das células da divisão onde trabalho lida com o controle de perdas. Estou na Sabesp há pouco mais de um ano. Como vim de um ramo totalmente diferente do saneamento, tudo é novidade para mim e o curso é uma ferramenta importante para adquirir conhecimento. A literatura e os vídeos postados nos permitem assimilar muitas informações, e a dinâmica do curso através dos fóruns e debates enriquece as discussões sobre os assuntos, pois possibilita, além do esclarecimento de dúvidas, trocar ideias com profissionais mais experientes e de outras empresas do setor. Esse compartilhamento de experiências agrega no aprendizado, ao mesmo tempo que fortalece nossa rede de contatos”. Alexandre Koiti Hokazono Shiramizu, 32, engenheiro civil, na Sabesp, Metropolitana Sul.

São Paulo/SP – Curso Básico de controle e redução de perdas.

“Há pouco mais de um ano trabalho na área que atende corporativamente todos os sistemas de abastecimento de água de abrangência estadual, no âmbito da Sanepar. A unidade chama-se USAG – Unidade de Serviço Processo Água e apoia as Unidades Regionais (operacionais), buscando desenvolver novas tecnologias ou otimizar as existentes, proporcionando eficiência operacional aos processos da unidade. A necessidade de fazer o curso deve-se ao fato de emitirmos pareceres para aquisições de materiais e equipamentos, bem como para a contratação de serviços para a execução de melhorias operacionais nos sistemas. Desta forma, para avaliação das solicitações, necessário aprofundar um pouco mais o conhecimento da modelagem hidráulica para análise das demandas das áreas operacionais. O curso oferece o embasamento técnico necessário às aquisições de materiais e/ou serviços propostas pelas unidades operacionais, minimizando a possibilidade de eventuais aquisições de produtos e serviços desnecessários ou especificados equivocadamente, gerando economia ou no mínimo evitando gastos desnecessários à companhia. Com relação à rede de contatos, entendo que sempre é melhor presencialmente, porém, há uma certa possibilidade de agregarmos novos colegas através dos fóruns realizados online”. Léo Henrique Cavalcanti de Albuquerque, 53, engenheiro civil na Sanepar.

Curitiba/PRCurso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“O setor de Recursos Humanos me encaminhou a oportunidade de fazer o curso e acolhi para aperfeiçoar meus conhecimentos. O curso poderá ajudar a desenvolver minhas competências técnicas, e como consequência, aprimorar a qualidade dos estudos e projetos desenvolvidos, bem como aumentar a minha produtividade. A rede de contatos auxiliará na troca de experiências e informações, tendo como resultado um melhoramento conjunto e contínuo”. Thales Renan Scalassara, 28, engenheiro civil, engenheiro de Desenvolvimento Operacional na Sanepar.

Londrina/PR – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“Decidi fazer o curso por indicação da empresa. O curso está me ajudando, pois é bem o ramo em que trabalho.” Mauricio André de Campos, 39, Agente de Suporte Operacional na Sanepar.

Curitiba- PR – Curso: Formulação e execução de estratégia de redução e controle de perdas.

“O curso é necessário para atender tarefas na empresa e me ajudará nas minhas atividades”. Vagner Alves de Macedo, 36, Técnico em Edificações na Sanepar.

Curitiba/PR – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“Decidi fazer o curso, pois a empresa solicitou uma reciclagem. O curso está me ajudando na revisão dos conceitos que por vezes não utilizamos muito no dia a dia”. Antônio Alberto de Almeida, 47, engenheiro mecânico, funcionário da Sabesp.

São Paulo /SP- Curso Básico de controle e redução de perdas.

‘’Por indicação da própria empresa decidi realizar este curso e assim ampliar meus conhecimentos. O curso tem me auxiliado muito em conhecimento e aperfeiçoamentos técnicos, pois trabalho no setor de operação, distribuição de água no município de Diadema, e os conhecimentos adquiridos aliados à alta qualidade do curso. Resultando na máxima qualidade de trabalho’’. Nilvando de Oliveira Martins, 40, Agente de Saneamento na Sabesp.

 São Paulo/SP – Curso: Operação de Sistemas de abastecimento de água.

‘’Decidi fazer o curso para aprofundar os estudos e práticas na área de saneamento, na qual estou trabalhando. Estão me esclarecendo diversos aspectos das operações de água e esgoto, assim como na modelagem hidráulica, me agregando conhecimentos técnicos aplicáveis principalmente no setor de engenharia no qual estou trabalhando e estudando’’. Oswaldo Lopes Manzaro, 22, técnico em Sistema de Saneamento (Edificações) na Sabesp, estudante de Engenharia Ambiental e Urbana, na Universidade Federal do ABC. 

São Paulo/SP – Cursos: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água; Operação de Sistema de abastecimento de água; Operação de Sistemas de esgotos sanitários.

“Decidi fazer o curso para melhorar o meu conhecimento, conhecer novas tecnologias, atualizar-me no tema de redução de perdas e operação de sistemas de abastecimento de água e principalmente utilizar nas atividades do dia-dia.  Os cursos escolhidos são de fundamental importância numa Companhia de Saneamento para garantir sustentabilidade dos recursos naturais e ao mesmo tempo propicia contato com outros profissionais. Sueli de Fátima Kogawa de Oliveira, 50, engenheira, técnica de Gestão na Sabesp.

São Paulo/SP – Curso Básico de controle e redução de perdas.

“Decidi fazer o curso, pois atuo na área de obras e gostaria de ter uma noção de como proceder nas avaliações dos sistemas existentes. Os estudos de caso estão dando uma noção boa de como funciona o estudo do sistema, estou na expectativa de exercícios com casos reais para que possamos desenvolver a ferramenta”. Caroline Campos das Neves Martins, 26, graduada em Engenheira Civil e Técnica em edificações na Sanepar.

Curitiba/PR – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.

“Decidi fazer o curso a pedido da empresa. O curso está contribuindo muito para a melhoria e atualização do meu conhecimento em áreas que trabalhei poucas vezes.” Marcos Tadeu dos Reis, 54, tecnólogo na Sabesp 

São Paulo/SP – Curso Básico de controle e redução de perdas e Operação de Sistemas de abastecimento de água.

“Decidi fazer o curso para atualização e aperfeiçoamento profissional. O curso está ajudando a minha carreira com novos desafios e novas ideias.” Adenizia Mezini, 47, tecnóloga em Edifícios e Obras Hidráulicas na Sabesp.

São Paulo/SP – Curso: A arte da modelagem hidráulica de sistema de abastecimento de água.